• Joice Viana

LEIA E OUÇA COM ATENÇÃO!

Música "Inquilino da dor", de Fábio Brazza, é mais do que um desabafo, é aceitação em forma de poesia


A intenção dessa postagem é apenas disseminar conteúdo bom e de qualidade, ouvi essa música e ela me tocou profundamente, conseguia montar frames da vida dele na minha imaginação e entender o quanto ele sofreu por se importar com a opinião dos outros. E isso acontece com a maioria das pessoas que sofrem com a depressão e outras doenças mentais, ainda bem que ele fez da sua tristeza instrumento do seu trabalho.


É incrível o poder de aceitação que ele teve para se superar, não adianta a gente ficar reclamando de que algo não está legal em nossa vida, repudiar a dor, a nossa libertação acontece a partir do momento que aceitamos ela e decidimos mudar a nossa vida! Achei muito criativo o título da música "Inquilino da dor", nós realmente somos, sem dor não sabemos que estamos VIVOS.


Colocar a nossa dor no papel, como ele fez, é uma das atividades que os terapeutas pedem para seus pacientes, justamente para entender o que nos afeta e etc., e ele fez isso como ninguém. Você não precisa fazer um rap igual a ele, mas escrever sobre as suas dores faz com que você desabafe de certa forma e não deixe aquele sentimento controlar seus pensamentos.


Vou deixar a música do Fábio Brazza te tocar mais do que as minhas palavras frias e sem emoção, leia e ouça com atenção:


Nas madrugadas frias, pensamentos suicidas Peguei na caneta a única saída que eu tinha Já me disseram que minhas músicas salvariam vidas Desculpa, mas essa aqui eu fiz pra salvar a minha Irmão, ainda que eu diga que não A verdade é que eu me preocupo demais com sua opinião E sofro demais se tiver rejeição Posso parecer forte com minhas palavras Porém sou tão fraco, admito Se alguém fala bem quase nunca acredito Se alguém fala mal levo pro coração Preciso aprender a lidar com essa porra antes que eu enlouqueça Ou meta uma bala na minha cabeça Tento organizar meus neurônios Logo eu que dizia fazer feat com Deus Hoje faço feat com os meus Demônios Lembro da frase que o Brown falou: Jesus chorou Hoje a inquilina da dor me visitou Mas como meu vô dizia As rugas também moram nos sorrisos E as lágrimas também molham os olhos de alegria Minha maior tristeza seria Se a tristeza me abandonasse um dia E me deixasse órfão da poesia Antes a sua companhia do que andar de alma vazia E que o poeta só caneta se tiver melancolia E se Deus me fez assim, não me resta outra escolha Cabe a mim botar na folha o que Deus botou em mim Vejo a dor como um presente, vivo-a com intensidade Pois o céu canta mais alto em dia de tempestade
Preciso falar tudo que eu quero falar Que amanhã eu já nem sei se tô aqui Se alguém me escutar esse som é pra avisar Que eu vi as trevas mas sobrevivi
Preciso falar tudo que eu quero falar Que amanhã eu já nem sei se tô aqui Se alguém me escutar esse som é pra avisar Que eu vi as trevas mas sobrevivi
Tem dias que eu penso em parar com tudo em ficar em paz Já não aguento mais Será que vale lutar pelos ideais? Vai Brazza segue em frente sem olhar pra trás Afinal, você quer ser famoso ou quer ser o melhor no que cê faz? Quando comecei a rimar eu sonhava em mudar o mundo Devolver um pouco do privilégio que a vida me deu Hoje já nem sei se sonhei demais ou se lá no fundo Eu só tô tomando espaço de alguém que precisa bem mais que eu Se eu não fizesse rap ia fazer o quê? Sei lá Mas não precisa ser muito esperto Pra saber que a verdade é que A nossa sociedade já foi desenhada Pra um cara que nem eu dar certo É fácil fazer rap assim Vindo de onde eu vim Se a televisão me fala sim Se a polícia não me faz um boletim Se no fim, os caras que morrem Confundido com bandidos nunca são iguais a mim Eu sou herdeiro de um passado que eu não posso fugir Eu não escolhi, mas pelo menos o rap me fez evoluir Desconstruir Acessar lugares e ideais que sozinho eu não ia conseguir E o que a sociedade separou eu vi o rap unir Numa estação de metrô, alí numa roda de free E foi aí que eu parei pra refletir Pô, imagina se o Brasil todo fosse igual a isso aqui! Talvez essa seja só mais uma utopia que o rap me fez crer Uma utopia que nunca vai chegar a ser Mas quer saber só porque um sonho é impossível Isso não é motivo pra não querer Seja você a mudança que você quer E se meu sonho morrer, espero que ele ganhe asa E possa renascer no coração de outro moleque Que um dia escutou meu rap E sonhou o mesmo que o Fabio Brazza!
Preciso falar tudo que eu quero falar Que amanhã eu já nem sei se tô aqui Se alguém me escutar esse som é pra avisar Que eu vi as trevas mas sobrevivi
Preciso falar tudo que eu quero falar Que amanhã eu já nem sei se tô aqui Se alguém me escutar esse som é pra avisar Que eu vi as trevas mas sobrevivi
31 visualizações1 comentário

FLUIRDAMENTE

NEWSLETTER

  • Facebook - círculo cinza
  • Instagram - Cinza Círculo
  • YouTube - círculo cinza

© 2020 by Fluirdamente created with Wix.com