• Joice Viana

DIA DAS MÃES: OBRIGADA ROSE!


Apesar desse Dia das Mães ser diferente do que todo mundo está acostumado... almoço de domingo na casa dos pais ou no restaurante preferido da mamãe, encontro recheado de abraços e beijos nos filhos e netinhos e aquele presentinho que sua mãe estava aguardando ansiosamente, devemos comemorar muito essa data!


Sim, porque é o dia daquela pessoa especial que nunca mediu esforços para cuidar de você da melhor forma possível com muito amor e carinho, mas também porque a data representa a luta feminista de brasileiras pelo seu reconhecimento como cidadãs, uma luta pela igualdade! A data passou a fazer parte do nosso calendário de feriados em 1932, época em que Getúlio Vargas era o presidente do país, a pedido da Federação Brasileira pelo Progresso Feminino. Naquele mesmo ano, nós, passamos a ter poder de voto, assim como os homens.


A data também tem a sua importância para o comércio varejista nacional, responsável pelo segundo maior faturamento do setor durante o ano. Com a pandemia, a tendência, segundo especialistas, é que as vendas devam encolher cerca de 60% esse ano.


Mesmo distantes, podemos fazer muito mais do que comprar presentes para as nossas mães. Podemos homenageá-las de diversas formas, basta um pouco de criatividade, o que os brasileiros têm de sobra!


À MINHA MÃE COM AMOR...

Minha mãezinha, cujo o nome completo ela não gosta muito de revelar, é carinhosamente chamada de Rose, que para mim é sinônimo de mulher guerreira, forte, lutadora, esperta e pau para toda obra. Sério, não tem o que você fale que ela não consiga dar um jeito para te ajudar, quando você menos espera ela já trouxe a solução.


Nunca vi a minha mãe parada sem fazer nada, assistindo uma TV jogada no sofá a tarde, assim... à toa. Ou ela está limpando a casa, ou está fazendo alguma coisa gostosa e doce na cozinha, ou está arrumando alguma coisa para fazer, ela é incansável! Mas como toda boa mãe sempre está reclamando que nunca para, vai entender?


A minha mãe trabalha como autônoma meio período do dia, cuida da minha vó que já está debilitada por conta da idade e do Alzheimer, cuida da casa, da nossa vida (brincadeira...rs), faz cocada para vender, além dos queijos maravilhosos que ela vende também.


Além de tudo isso, quando fiquei doente e tive que voltar para a casa dela, ela cuidou de mim também. Ela precisou entender o que estava se passando comigo, algo que não é tão simples para quem nunca se deparou com a depressão. Muitas vezes ela precisou ter calma quando eu me irritava por não pegar no sono, falando para eu rezar e pedir para Deus e como sempre eu dizia: “Você acha que é assim mãe, você reza e acontece um milagre?”.


Quantas rezas você fez e velas teve que acender... muitas! E quando eu tinha vontade de te machucar? Parecia que eu estava possuída, mas você continuou me amando e tendo calma. Quantas vezes eu chorei e me irritei por não conseguir fazer algo e você falava para eu parar por um momento e tentar de novo depois? Quantas vezes eu só queria ficar deitada no escuro sem fazer nada e você foi lá e abriu a janela e me tirou debaixo do cobertor? Quantas vezes eu começava a ficar inquieta falando coisas sem parar e você parou tudo que estava fazendo para me ajudar?


Quando eu tinha medo de sair sozinha para algum lugar, lá estava você me acompanhando para cima e para baixo. Você rezou ao modo católico, foi no centro espírita fazer tratamento por mim e até me levou em um terapeuta espiritual que faz rituais xamânicos... What the fuck? Mas vamos lá filha, eu te acompanho, se vai te ajudar eu vou!


Ela soube ter calma, paciência, força, equilíbrio emocional, não foi preconceituosa com o novo e “estranho” para muita gente. Mãe é isso, ela faz de tudo para te ver bem e feliz, independente do que seja, é um amor que move montanhas! É meio clichê, mas é verdade.


No passado eu dizia para ela, quando eu for mãe eu serei diferente de você, “como você é chata, controladora e quer tudo do seu jeito!”. Sim, ela é um pouco disso sim, mas que mãe não tem seus defeitos?


Agora que eu só enxergo as coisas de forma positiva, quero ser pelo menos um terço da mãe maravilhosa que ela é comigo e com meu irmão, principalmente depois de tudo que eu passei.


TE AMAMOS MÃE

Fontes: Brasil Escola, Wikipedia, CMais - TV Cultura, CNN Brasil, Agência Brasil

Imagens: Freepik, arquivo pessoal

64 visualizações2 comentários

FLUIRDAMENTE

NEWSLETTER

  • Facebook - círculo cinza
  • Instagram - Cinza Círculo
  • YouTube - círculo cinza

© 2020 by Fluirdamente created with Wix.com